sexta-feira, 29 de abril de 2011

Por Que Desanimar?


Fred Astaire, o famoso ator que encantou as telas do cinema dançando, ao fazer o seu primeiro teste para o cinema, recebeu as informações de que não sabia atuar. Era careca, dizia o relatório, e ainda dançava pouco.
O professor de Enrico Caruso dizia que ele não tinha voz e não era capaz de cantar.
Acreditando nisso, os pais de Enrico queria que ele fosse engenheiro. Ele não desistiu e se tornou famoso cantor de ópera, admirado até os dias atuais.
Winston Churchill foi reprovado na sexta série. Somente se tornou primeiro ministro da Inglaterra depois dos 60 anos. Sua vida foi cheia de derrotas e fracassos, mas ele nunca desistiu. Chegou a dizer um dia: "Eu deixaria a política para sempre, se não fosse a possibilidade de um dia vir a ser Primeiro Ministro." Conseguiu. E talves poucos saibam: Ele foi Prêmio Nobel de Literatura em 1953 por suas memórias da segunda guerra mundial.
Richard Bach teve recusada a sua história de dez mil palavras por 18 editoras. Era a história de uma gaivota que planava. Uma gaivota chamada Fernão Capelo Gaivota. Porque ele não desistiu, em 1970 a Micmillan publicou a história e em 5 anos vendeu mais de 7 milhões de exemplares só nos Estados Unidos.
(Autor desconhecido)


Essas pessoas só obtiveram êxito em seus sonhos porque não permitiram que as derrotas momentâneas, os fracassos, as críticas sem fundamentos e os julgamentos precipitados de algumas pessoas as fizessem desistir.
Não sabemos se essas pessoas tinham Deus em suas vidas, mas com certeza, nós possuímos esse valiosíssimo privilégio.
Portanto, todas as vezes que nossos sonhos forem frustrados ainda haverá inúmeras tentativas a serem feitas, as quais não poderemos ignorar, pois sabemos que nossos esforços nunca serão inúteis se nossos projetos estiverem de acordo com a vontade de Deus.
Por isso, sigamos em frente, sonhando e trabalhando para tornar reais nossos projetos.


"O Senhor, pois, é aquele que vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te espantes." (Deuteronômio 31.8)
(Extraído; comentarista: Tânia Mara)

Nenhum comentário:

Postar um comentário