quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Deus (Ilustração)

 
Alguma vez sentiste o desejo de fazer alguma coisa agradável por alguém a quem tens carinho?
Era Deus que te falava através do Espírito Santo.
Alguma vez sentiste tristeza e solidão, embora parecesse que alguém estava ao teu lado?
Era Deus que te acolhia através de Jesus Cristo.
Alguma vez ao pensares em alguém que te é querido e não vias há muito tempo, aconteceu que de repente encontraste essa pessoa?
Era Deus, porque o acaso não existe.
Alguma vez recebeste algo maravilhoso que nem tinhas pedido?
Foi Deus, que conhece bem os segredos do teu coração.
Alguma vez estiveste numa situação muito problemática sem teres a menor ideia de como resolver e de repente a solução aparece?
É Deus que toma nossos problemas em suas mãos.
Alguma vez sentiste uma imensa tristeza na alma e de repente é como se um bálsamo fosse derramado e uma paz inexplicável invade teu ser?
É Deus que te consola com um abraço e te dá esperança.
Alguma vez te sentiste tão cansado da vida, a ponto de querer morrer, e de repente, um dia, sentes que tens força suficiente para continuar?
É Deus que te carrega nos braços e te dá descanso.
Tudo é melhor quando... é Deus quem está a frente de tudo.


   "Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus..." (Salmo 46.10)
(Extraído)

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Volta Pra Casa!


Jesus continuou: Certo homem tinha dois filhos. O mais moço deles disse ao pai: Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence. E o pai repartiu os bens entre os dois.
Poucos dias depois, o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente.


Introdução.
Nesta mensagem de hoje, o Espírito Santo vai nos mostrar que, quando a pessoa se afasta de Deus ela trás para si grandes sofrimentos. Ele mostrará também que Deus nosso Pai sente grande alegria quando seu filho retorna para Ele.


  Caroª leitorª, ao ler esta parábola fico imaginando os pensamentos que passava na mente daquele jovem, certamente ele pensava: "Já estou cansado de receber ordens de meu pai, não posso fazer o que quero, quero viver a minha vida e ser independente." Talves ele tinha planos de nunca mais voltar para as dependências do pai, pois pediu ao pai a sua parte da herança.
  O pai, certamente muito triste, não podia obrigá-lo a ficar, pois ele já era um homem feito e, concedeu o que ele pediu pois estava no seu direito, permitindo assim sua partida. E aquele jovem foi viver a vida da maneira que queria, no início era tudo uma maravilha, cheio de dinheiro, conseguiu muitos "amigos", muitas mulheres, fazia muitas festas,etc.
  Até, que todo o dinheiro acabou, e aqueles que se diziam seus amigos foram se afastando um após um, e não restou nem um amigo se quer, aquele jovem se viu só, longe de sua casa paterna, sem ninguém que lhe estendesse a mão. Até que houve naquela terra uma grande fome, e a sua miséria era tanta, que começou a pedir trabalho, mas o único trabalho que conseguiu foi o de levar os porcos  para o pasto, e vendo os porcos se alimentarem,  tamanha era a sua fome, que desejou comer da comida dos porcos mas ninguém lhe dava nada.
  Um dia, ele se lembrou: "Os servos de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome", ele se arrependeu amargamente por ter se afastado de seu pai e estava disposto a se humilhar diante dele pedindo-lhe o seu perdão e, que o aceitasse de volta mesmo que fosse como um empregado. 
  E voltando ele para sua casa, seu pai o avistou de longe, e sentiu uma profunda compaixão ao ver o estado de seu filho, certamente magro,descalço e com suas vestes rasgadas, e correu até a ele, o abraçou e o beijou, e aquele jovem ajoelhando-se ante seu pai disse: "Pai, pequei contra o céu, e perante ti, já não sou digno de ser chamado seu filho."  Imediatamente o seu pai mandou o seu servo pegar a melhor roupa e vesti-lo, colocou um anel em seu dedo e sandálias em seus pés, e aquele jovem foi restituído de todos os seus direitos, o direito de filho e senhor daquela casa; e seu pai mandou preparar uma grande festa e convidou todos o seu amigos porque grande era a sua alegria por ter seu filho de volta.
  Tal qual essa história, é nos dias atuais, muitos jovens agem da mesma forma, e muitos se dão mal. Mas, quero comparar essa história com a vida dos filhos de Deus que deixam a casa do Pai celestial e vão para o mundo achando que vão ser felizes, que vão se dar bem, que vão ser livres; no início, tal qual essa história tudo são flores, o diabo engana essas pessoas direitinho, depois ele começa a escravizá-las, e essas pessoas de príncipes e princesas do Senhor passam a ser escravos e escravas de Satanás.
  Talves caroª leitorª, você se afastou de Jesus pensando que ia ser feliz no mundo, pois lá você poderia fazer o que quisesse, enfim, estaria livre para viver sua vida, no início foi até bom mas depois....; pois o diabo faz assim, ele vai dando corda, ele deixa a pessoa a vontade e faz ela sentir uma sensação de bem-estar, e à faz pensar que ela não precisa de Deus para viver. Mas logo depois ele começa destruir e escravizar a pessoa, e o sofrimento dessa pessoa é grande, e a pessoa começa a perceber que era feliz e não sabia; talves isso aconteceu com você caroª leitorª, porém o Senhor Jesus te diz hoje: "Volta Pra Casa, Eu te amo e te quero de volta!"  O nosso Pai celestial está de braços abertos para te abraçar, te perdoar e tornar a lhe dar a alegria da salvação, e se assim você fizer Ele te receberá e haverá uma grande festa no céu.
   Talves caroª leitorª, você tem pensado em deixar a casa de seu Pai e Senhor Jesus, todavia o Espírito Santo te alerta hoje: "Não dê ouvidos ao diabo, ele está te enganando!, e a intenção dele é te levar para o inferno."
  O Senhor Jesus diz: O ladrão vem para roubar, matar e destruir. Eu vim para que tenham vida e vida com abundância." (João 10.10)
Ele disse também: Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.(João 8.32)
O mundo e seus prazeres escraviza o homem, e sua "alegria" é passageira, a verdadeira felicidade e liberdade está em Jesus Cristo nosso Senhor. Pense nisso!  


Que Deus te abençoe ricamente em nome de Jesus!


Mensagem iluminada pelo Espírito de Deus.
Em:14/09/2006.
Revisada em: 17/08/2011.
Autora: Sandra Moura.



 

terça-feira, 16 de agosto de 2011

A Paz Perfeita (Ilustração)


 Houve um rei que ofereceu um grande prêmio ao artista que fosse capaz de captar, numa pintura, a paz perfeita. Então, muitos artistas tentaram.
O rei observou e admirou todas as pinturas, mas ele gostou de duas: A primeira era um lago muito tranquilo. Este lago era um espelho perfeito onde se refletiam umas plácidas montanhas que o rodeavam. Sobre elas encontrava-se um céu muito azul com tênues nuvens brancas. Todos que olharam para essa pintura pensaram que ela refletia a paz perfeita.
  A segunda pintura também tinha montanhas, mas estas eram escabrosas e estavam despidas de vegetação. sobre elas havia um céu tempestuoso do qual se precipitava um forte aguaceiro com faíscas e trovões. Montanha abaixo parecia retumbar uma espumosa torrente de água. E tudo isso se revelava nada pacífico. Porém, quando o rei observou mais atentamente, reparou que atrás da cascata havia um arbusto crescendo de uma fenda na  rocha. Neste arbusto encontrava-se um ninho. Ali, no meio do ruído da violenta camada de água estava um passarinho placidamente sentado no seu ninho. 
Paz perfeita.
 Esta foi a pintura escolhida pelo rei. Sabe por quê? "Porque _ explicou o rei _ paz não significa está num lugar sem ruídos, sem problemas, paz significa que, apesar de se estar no meio de tudo isso, permanecemos calmos no nosso coração. Este é o verdadeiro significado da paz.


Esta paz citada na história somente Jesus pode nos proporcionar.


"Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize." (João 14.27)
"Tenho vos dito isto para que em mim tanhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo." (João 17.33)
(Extraído)

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Amor de Pai (Ilustração)


Havia um homem riquíssimo, que possuía muitos bens, uma grande fazenda e vários empregados. Tinha um único filho que não gostava de trabalho nem de compromissos.  O que mais apreciava eram as festas, os amigos e ser bajulado por estes amigos. Seu pai sempre o advertia de que seus amigos só estavam ao seu lado por seu dinheiro, mas ele não dava atenção.
Um dia, o velho pai, já avançado na idade, disse aos seus empregados que construíssem um pequeno celeiro.
 Dentro do celeiro, ele mesmo fez uma forca e uma placa com os dizeres: "Para você nunca mais desprezar as palavras de seu pai."
Mais tarde chamou o filho, levou-o até o celeiro e disse: _Meu filho, já estou velho, e quando eu partir tomará conta de tudo que é meu, e sei qual será seu futuro: Vai deixar a fazenda nas mãos dos empregados e irá gastar todo o dinheiro com seus amigos. Vai vender os animais e os bens para se sustentar e, quando não tiver mais dinheiro, não terá mais amigos.
Nessa hora vai se arrepender amargamente por não ter me ouvido. E foi por isso que construi essa forca para você. Se acontecer o que lhe disse, quero que me prometa que irá se enforcar nela.
O jovem riu, achou aquilo um absurdo, mas para não contrariar o pai, fez-lhe a promessa, pensando que aquilo jamais aconteceria. O tempo passou, o pai morreu e o filho tomou conta de tudo, mas assim como o pai havia previsto, o jovem gastou toda  a herança, perdeu os amigos e a própria dignidade.
  Desesperado, começou a refletir sobre sua vida e viu que havia sido um tolo. Lembrou-se do pai e começou a chorar, pensando: _Há, meu pai, se tivesse ouvido seus conselhos... Mas agora é tarde.
Pesaroso, levantou os olhos e avistou o pequeno celeiro. Era a única coisa que lhe restava. Dirigiu-se até lá e, vendo a forca e a placa empoeiradas, meditou: _ Nunca segui as palavras de meu pai, não pude alegrá-lo quando estava vivo, mas, pelo menos dessa vez, vou fazer a vontade dele, cumprindo minha promessa, porque não me resta mais nada.
  Então, subindo nos degraus, colocou a corda no pescoço e pensou: _Ah, se eu tivesse nova chance... E pulou. Sentiu por um instante a corda apertar sua garganta, mas o braço da forca era oco e quebrou-se facilmente. O rapaz caiu no chão e sobre ele caíram jóias, esmeraldas, pérolas e diamantes. Um bilhete dizia: _ Essa é sua nova chance. Eu o amo muito. Seu pai.


  Esta história serve para inspirar todos que intercedem por aqueles considerados casos perdidos, pois, no final, mesmo o rapaz tendo desistido de viver devido às grandes dificuldades o seu pai lhe proporcionou uma segunda chance, pois nunca desistiu dele.
Portanto, se você já ora há muito tempo por alguém, e às vezes duvida da vitória, não desanime; continue clamando, continue insistindo no seu propósito, porque nosso Deus é amor, por isso ele ouve e atende àqueles que demonstram a sua fé mesmo diante de um quadro aparentemente irreversível.
 Tudo isso eu falo porque Deus nunca desiste de seus filhos, portanto também não podemos desistir de quem já desistiu da vida. Se a pessoa não tem mais força para lutar, nos cabe exercer esse papel, orando e acreditando num final vitorioso.

 "Ora a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem." (Hebreus 11.1)
(Extraído)



quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Maior é o Que Está Conosco, do Que o Que Está no Mundo!


Esforçai-vos, e tende bom ânimo. Não temais, nem vos espanteis, por causa do rei da Assíria, nem por causa de toda multidão que está com ele, pois conosco há um maior do que o que está com ele.
Com ele está o braço de carne, mas conosco o Senhor nosso Deus, para nos ajudar, e para guerrear as nossas guerras. E o povo cobrou ânimo com as palavras de Ezequias, rei de Judá.(IICrônicas 32.7,8)
Então veio o Espírito do Senhor no meio da congregação, sobre Jaaziel... Disse ele: Dai ouvidos todo o Judá, e vós, moradores de Jerusalém, e tu, ó rei Jeosafá. Assim vos diz o Senhor: Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão. Pois a peleja não é vossa, mas de Deus.( II Crônicas 20.15)


Introdução.
Diante das dificuldades chegamos a pensar que não vamos conseguir pois aos nossos olhos o nosso problema é grande; Mas o Espírito Santo vai te falar hoje: "Por maior que pareça o seu problema, Deus é maior, e Ele pelejará por você.


Os textos base dessa mensagem falam da história de Jeosafá e Ezequias reis de Judá, ambos foram ameaçados por seus inimigos de invadirem e tomarem suas terras( aliás se tratava da mesma terra, só que em época diferente). Seus inimigos eram grandes em número e poderosos, mas Jeosafá e Ezequias tinham em seus corações a fé num Deus que era maior do que seus inimigos; uma das estratégias de seus inimigos era a intimidação, seus inimigos intimidavam o povo de Judá pelo medo, eles se mostravam mais fortes, porém, Jeosafá e Ezequias confiavam em Deus e animavam o povo para que não tivessem medo, passando para eles a fé que tinham fazendo-os crer que Maior era o que estava com eles.
Hoje em dia não tem sido diferente, o inimigo de nossa alma(o diabo) tem usado pessoas e situações para nos intimidar, ele tem falado nas mentes das pessoas algo tipo: "Você não vai conseguir, este problema é grande demais pra você,  não tem mais jeito, você não é capaz de fazer isso ou aquilo,etc." E muitas das vezes as pessoas se deixam levar por essas vozes malignas e passam a acreditar que não podem, que não vão conseguir; se esse é o seu caso, saiba de uma coisa, o seu problema pode ser grande, mas, Deus é maior.
Os reis Jeosafá e Ezequias não se deixaram intimidar, eles usaram armas mais fortes do que qualquer material bélico, essas armas foram: A fé e a oração. A fé e a oração são nossas armas contra nosso inimigo e contra todos os nossos problemas; O nosso Deus diz em sua Palavra: "Tomando, sobretudo, o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. E orai em todo o tempo com toda oração e súplica no Espírito. Vigiai nisto com toda perseverança e súplica por todos os santos." (Efésios 6.16,18)
Se você quer vencer os seus inimigos e seus problemas, use essas armas poderosas que são a fé em Deus e a oração, e você terá forças para vencer esta batalha.
Amadoª, falta-nos tempo para falar de todos os personagens bíblicos que não se deixaram intimidar por seus inimigos e que os vencerem através da fé em Deus e da oração.
Talves você esteja angustiadoª achando que não vai conseguir vencer esta batalha da vida, porque aos seus olhos esse problema é grande demais; talves você tem sido afrontadoª e te perguntam: "Você não é crente? Por que está passando por tudo isso? A onde está o seu Deus?  Nessas horas a única coisa a fazer é clamar a Deus e apresentar a Ele as suas causas, e ele pelejará por você e lhe fará justiça; e quando isso acontecer, todos vão ver e reconhecer que o seu Redentor, seu Salvador vive e é grande.
Queridoª, não desanime, não tenha medo, não se deixe intimidar porque contigo está o Senhor dos Exércitos, o Deus de Batalhas, o Todo-Poderoso, o Santo de Israel que guerreia as nossas guerras, Ele pelejará por você; lembre-se de que está peleja não é sua, mas de Deus.


Que Deus te abençoe ricamente em nome de Jesus!


Mensagem iluminada pelo Espírito de Deus.
Em:08/08/2011.
Autora: Sandra Moura.



quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Indiferença (Ilustração)



A linha vai paralela à estrada entre a cidade e o rio. As estações estão protegidas por cercas e é necessário subir e descer escadas para chegar ao trem. Cada estação tem duas plataformas altas e, no meio, existe o fosso em que passam os trens.
Numa das plataformas, um homem novo destaca-se dos outros porque avança extraordinariamente devagar e tem um andar vacilante. É cego, arrasta os pés como se esperasse a todo momento encontrar os degraus de uma escada. Ele agita a bengala sem parar, num movimento cadenciado, ora para a esquerda, ora pra direita, e é impossível não reparar nele. 
Estou dentro do carro, preso numa fila de trânsito, na estrada que corre ao longo da linha do trem, e assisto ao descompasso que existe entre o cego e todos os outros que chegam e partem sem olhar para ele. Ou melhor, sem vê-lo.
Homens e mulheres cruzam-se no caminho do cego e afastam-se instintivamente para que a bengala não lhes toque. Indiferentes a necessidade imperiosa que o cego tem de encontrar o chão debaixo dos pés e à vertigem que é para ele o pequeno abismo que separa as duas plataformas. Passam sem se deter porque não lhes ocorre se quer pensar que, naquele lugar, ele precisa especialmente de ajuda para se orientar e não cair na linha do trem.
Enquanto isso, o homem segue o seu caminho visivelmente aflito com a falta de referências, com o espaço que se sente inseguro e, ainda, com a ameaça dos degraus e do abismo entre as plataformas. Os seus gestos são inquietantes e seus passos hesitantes, mas mesmo assim, os outros não reparam. Há um rapaz que vem no sentido contrário, de frente pra ele, mas que também se afasta no exato momento em que vai passar pelo cego.
  Vista do carro, a cena dói porque o cego continua penosamente a tentar encontrar o caminho sem ninguém para ajudá-lo. É a indiferença que se instalou em todos nós.


E, qual é a causa dessa indiferença? A FALTA DE AMOR.


"E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.." (I Coríntios 13.2)
(Extraído)