segunda-feira, 23 de abril de 2012

Diário de uma Bíblia



20 de janeiro: Passei uma semana calma. nas primeiras noites do Ano novo, meu proprietário me leu diariamente, mas agora parece que me esqueceu.
16 de fevereiro: Hoje foi faxina geral de final de verão. Fui desempoeirada e recolocada em meu lugar.
 24 de março: Fui utilizada pelo meu proprietário. Ele analizou alguns trechos e me levou ao culto.
08 de maio: Hoje foi um dia duro de trabalho. Meu proprietário dirigiu um estudo bíblico e teve que procurar vários versículos. Raras vezes os encontrava, mesmo estando todos no velho lugar.
01 de junho: Hoje alguém colocou um trevo de quatro folhas entre minhas páginas.
29 de junho: Fui colocada, juntamente com roupas e outros objetos dentro de uma mala. Estamos em viagem de férias.
10 de julho: Ainda estou na mala, embora quase todos os outros objetos já tenham sido retirados.

15 de agosto: Hoje fui utilizada por Joana. Ela escreveu para sua amiga e procurou um versículo para ela.
20 de agosto:  Novamente fui desempoeirada.


  Seria esta a sua Bíblia?


"...Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos." (João 8.31b)
 "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." (João 8.32)
(Extraído)

quarta-feira, 18 de abril de 2012

O Senhor Peleja Por Nós


Moisés, porém, disse ao povo: Não temais, estai quietos e vede a salvação que o SENHOR  hoje vos fará; porque os egípcios que hoje vedes nunca mais os vereis.
O SENHOR pelejará por vós, e vós estareis tranquilos.(Êxodo 14. 13,14)


Assunto: Batalha Espiritual.


Introdução.
  O povo de Deus sempre travou batalhas contra os inimigos que se levantavam contra eles. Outrora os inimigos além de serem espirituais eram também físicos e sempre em maior número, mas Deus, o Senhor dos exércitos pelejava por eles e os livrava.


  Como comentei na introdução, os inimigos do povo de Deus eram espirituais e físicos, eram povos, reinos... usados por Satanás(diabo) que queriam tomar posse de suas terras e escravizá-los. A luta no passado era travada em forma de guerra mesmo, usando armas bélicas para dar cabo dos inimigos e, Deus estava sempre presente à frente dessas batalhas garantido-lhes a vitória. Hoje em dia, os inimigos do povo de Deus também são espirituais e físicos, o diabo usa as pessoas para se levantarem contra nós, mas a forma de luta não é a mesma do passado, a nossa luta não é mais contra a carne e sangue, isto é, contra as pessoas, e sim contra os demônios que às usam.
   Nessa guerra não usamos materiais bélicos, a nossa arma é espiritual; é através da oração, do jejum, da meditação da Palavra de Deus e da ação direta do Espírito Santo atuando na vida dessas pessoas e contra os inimigos espirituais. A nossa oração tem que ser como Jesus ensinou: "Orai por aqueles que vos perseguem..." e nessa oração não podemos pedir o mal para essas pessoas, temos que pedir a Deus que as liberte, que as salvem e, que Deus jogue por terra, isto é, que faça cair derrotados os nossos inimigos espirituais.
  Por que o cristão enfrenta batalhas espirituais?
Um dos motivos é:" Testar a fidelidade do cristão;" ser fiel a Deus quando tudo vai bem é fácil, o difícil é permanecer na fidelidade quando tudo vai mal e, é no momento de luta, de adversidade que se conhece o verdadeiro cristão. A adversidade é como um fogo numa fornalha e o cristão é como o  metal precioso, o fogo revela o metal precioso e consome o que não é, o crente fiel quando passa pela fornalha da adversidade permanece, o infiel desaparece, isto é, sai da presença de Deus.
  O próprio diabo sabe dessa fraqueza humana, tanto, que no dia em que ele se apresentou diante de Deus, e o SENHOR deu testemunho favorável acerca de Jó, ele disse: "Em vão teme Jó a Deus, a caso não o tens cercado de bens, e os seu bens se multiplicam sobre a terra? Toca em tudo o que ele tem, e verás que certamente blasfemarás em tua face."(Jó 1.11) Satanás poderia até saber que alguns homens são fracos nesse sentido, mas, Deus conhecia o coração de Jó e sabia que o seu servo não o negaria, que seria fiel a Ele até o fim, como realmente foi.
  Talves você esteja se perguntando: "Se Deus sabe, então porque testar o homem?" Ninguém conhece a mente de Deus! Mas eu acredito que esse teste é para a própria pessoa e para demostrar para Satanás o verdadeiro cristão, como foi no caso de Jó. Veja a narrativa de Jó capítulo 1 e 2:  " Deus dá testemunho de Jó, Satanás contesta e Deus mostra para ele que Jó é tudo aquilo que Ele falou; e Satanás sai envergonhado pois Jó permaneceu fiel e não blasfemou de Deus, como ele disse que Jó o faria, e como recompensa Deus abençoou a Jó multiplicadamente, você poderá ver isso no capítulo final do livro de Jó; e eu acredito que não é diferente conosco.
  As batalhas espirituais são também para moldar o cristão; somos como um vaso de barro nas mãos do oleiro, o próprio Deus disse isso, nas batalhas Deus vai nos moldando, isto é, dando a forma que Ele quer a cada um de nós. O cristão sai da batalha totalmente diferente de que quando entrou, ele sai mais forte, melhor como filho de Deus, melhor como pessoa, como cidadão, mais compassivo...enfim ele sai experiente naquela situação e, será capaz de enfrentar outras situações até maiores e também de ajudar outras pessoas que estiverem passando pelo mesmo problema.
   As batalhas espirituais servem para fortalecer a fé do cristão; quando passamos pelas lutas e provamos o cuidado, o conforto, o livramento que Deus nos dá, a nossa fé é avivada, é fortalecida, saímos da luta com muito mais fé e somos capazes de enfrentar o que for pois temos a certeza de que Deus está conosco e nos dará a vitória; como foi no caso de Jó, ele disse: "Eu sei que o meu Redentor vive e que por fim se levantará sobre a Terra!" (Jó 19.25)  Em outras palavras Jó dizia: "Eu tenho certeza que o meu Salvador está vivo e Ele vai me tirar dessa, isto é, Ele vai mudar a minha situação, Ele vai se manifestar em minha vida;" e não é, e nem será diferente conosco. 
   O cristão só consegue vencer a batalha espiritual com a ajuda de Deus; pois os inimigos espirituais são mais fortes, maiores que nós, mas a Palavra de Deus diz que: "Maior é o que está em nós do que o que está no mundo. A palavra de Deus diz também: "Como está escrito: Por amor de Ti somos entregues à morte o dia todo; fomos considerados como ovelhas no matadouro. Mas em todas estas coisa somos mais do que vencedores, por Aquele que nos amou"( Romanos 8.36,37).  Sozinhos não conseguiremos, mas com a ajuda Daquele que nos amou, isto é, de Deus nosso Senhor, seremos mais do que vencedores.
   AmadoªQueridoª, tenha certeza de uma coisa, você sairá dessa e, sairá uma pessoa bem melhor do que era antes, melhor como cristão, como irmão... e muito mais forte espiritualmente porque Deus está pelejando por você.


  "Que Deus te abençoe ricamente e te dê a paz!"


Mensagem iluminada pelo Espírito de Deus.
Em:02/04/2012.
Autora: Sandra Moura.   
Assunto: Extraído da Revista nº 8 Ano 2 da ECG.   

sábado, 7 de abril de 2012

O Propósito de Períodos de Sequidão



  A minha alma tem sede de ti!  Todo o meu ser anseia por ti, numa terra seca, exausta e sem água. Quero contemplar-te no santuário e avistar o teu poder e a tua glória. (Salmo 63. 1b,2)


   Nos períodos difíceis, quando sentimos que Deus nos esqueceu, buscamos aproximar-nos e tornar-nos como Ele. No inverno, a temperatura cai, e o vento forte arranca as flores e as folhas das árvores. Então, as plantas se aproveitam dessa estação para aprofundarem suas raízes. Esses períodos  podem não ser prazerosos, mas são extremamente importantes. João da Cruz (1542-1591) disse que as temporadas de aridez ou de trevas são um tempo em que devemos anular todas as distrações e realmente enxergar Deus.


     Para provar com mais clareza como essa noite, com sua aridez e desolação é eficiente para trazer à alma a luz que, como dissemos, ela recebe de Deus, devemos citar uma passagem do profeta Davi; um trecho em que ele claramente descreve o grande poder que essa noite possui para nos trazer o conhecimento mais profundo de Deus. Davi afirma: No deserto árido apresentei-me diante de ti, para que visse a tua virtude e a tua glória.
    É algo incrível o fato de Davi afirmar nesse trecho que os meios e a preparação para que ele conhecesse a glória de Deus não estavam nos deleites espirituais e nos muitos prazeres que havia experimentado, mas sim na aridez e no desapego dos seus sentidos_ o tempo passado no deserto.
    Nessa condição difícil, a alma se torna submissa e obediente na caminhada espiritual. Quando se dá conta de sua miséria, não apenas ouve o que está sendo ensinado , mas também deseja que todos possam mostrar-lhe o caminho e dizer o que deve fazer. A forte crença que [Davi] tinha antes em sua prosperidade é retirada; por fim, todas as outras imperfeições, sendo a principal delas o orgulho espiritual, são anuladas nessa caminhada.                                                                                               
                                                                                                                                                                      João da Cruz.
      
     
      Encha-me com a fidelidade do alto,
      Sustenta-me com a força divina;
      Senhor, faça com que teu grande amor
      Brilhe sobre minha vida. 
                              
                          Johann C. Lavater (1741- 1801)




Extraído do Livro: Água da Rocha- volume 1