sábado, 7 de abril de 2012

O Propósito de Períodos de Sequidão



  A minha alma tem sede de ti!  Todo o meu ser anseia por ti, numa terra seca, exausta e sem água. Quero contemplar-te no santuário e avistar o teu poder e a tua glória. (Salmo 63. 1b,2)


   Nos períodos difíceis, quando sentimos que Deus nos esqueceu, buscamos aproximar-nos e tornar-nos como Ele. No inverno, a temperatura cai, e o vento forte arranca as flores e as folhas das árvores. Então, as plantas se aproveitam dessa estação para aprofundarem suas raízes. Esses períodos  podem não ser prazerosos, mas são extremamente importantes. João da Cruz (1542-1591) disse que as temporadas de aridez ou de trevas são um tempo em que devemos anular todas as distrações e realmente enxergar Deus.


     Para provar com mais clareza como essa noite, com sua aridez e desolação é eficiente para trazer à alma a luz que, como dissemos, ela recebe de Deus, devemos citar uma passagem do profeta Davi; um trecho em que ele claramente descreve o grande poder que essa noite possui para nos trazer o conhecimento mais profundo de Deus. Davi afirma: No deserto árido apresentei-me diante de ti, para que visse a tua virtude e a tua glória.
    É algo incrível o fato de Davi afirmar nesse trecho que os meios e a preparação para que ele conhecesse a glória de Deus não estavam nos deleites espirituais e nos muitos prazeres que havia experimentado, mas sim na aridez e no desapego dos seus sentidos_ o tempo passado no deserto.
    Nessa condição difícil, a alma se torna submissa e obediente na caminhada espiritual. Quando se dá conta de sua miséria, não apenas ouve o que está sendo ensinado , mas também deseja que todos possam mostrar-lhe o caminho e dizer o que deve fazer. A forte crença que [Davi] tinha antes em sua prosperidade é retirada; por fim, todas as outras imperfeições, sendo a principal delas o orgulho espiritual, são anuladas nessa caminhada.                                                                                               
                                                                                                                                                                      João da Cruz.
      
     
      Encha-me com a fidelidade do alto,
      Sustenta-me com a força divina;
      Senhor, faça com que teu grande amor
      Brilhe sobre minha vida. 
                              
                          Johann C. Lavater (1741- 1801)




Extraído do Livro: Água da Rocha- volume 1
    


          

Um comentário:

  1. Lindas mensagens, fiquei muito feliz por conhecer seu blog; Estou te seguindo! Voltarei mais e mais vezes para visita-lo; pois são mensagens marcantes. Olha nos faça uma visitinha, estarei esperando, espero que esteja nos seguindo; será um prazer tê-la por lá.
    Meu link: http://jardimdolibano.blogspot.com

    ResponderExcluir