segunda-feira, 25 de outubro de 2010

José (Ilustração)

Ele era jovem e bonito. Fruto de uma longa espera; o favorito de seu pai. Sonhou que seria grande, mas foi humilhado quando compartilhou seu sonho com aqueles que amava.
Então perguntou: "Por que Senhor?"
E o Senhor respondeu: "Espere e verás."
Os dias se passaram. Um novo sonho foi o bastante para que tentassem calar sua voz, matar as suas ambições. Vendido como escravo, levado para uma terra desconhecida, afastado de seu lar, ele perguntou mais uma vez: "Por que Senhor?"
E mais uma vez o Senhor respondeu: "Espere e verás."
Seu dom de interpretar sonhos é um instrumento que Deus usa para livrá-lo daquela situação. Frente a frente com o rei, ele é então promovido a governador como prova de confiança e agradecimento pelos serviços prestados. Mas, mesmo diante de tanta glória, não se envaidece, e humildemente muda a pergunta:"Para que, Senhor?" 
Só para ouvir ainda mais uma vez: "Espere e verás."
Chega o dia do conforto: De um lado, aqueles que o desprezaram e humilharam, do outro ele, jovem bonito, homem feito, com o poder nas mãos. Nada mais importa. O passado é esquecido, a outra face é dada. A esperança renasce com a alegria da reconciliação.
No velho testamento, essa é uma história que fascina, pois José tinha um propósito: agradar a Deus, não importando o que acontecece. Ele não conhecida o propósito de Deus, mas confiava que o Senhor o estava direcionando para o cumprimento desse propósito. Muitas vezez, nós nos desesperamos, queremos respostas imediatas, por isso descarregamos em Deus toda nossa frustração quando não obtemos tudo imediatamente; no entanto Deus, pacientemente, nos responde:"Espere e verás."
Essa espera depende de confiança plena. Crer que o Senhor usará tudo para o nosso bem, muito embora as circunstâncias possam mostrar ao contrário.
(Autor desconhecido)


"Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se veêm." (Hebreus 11.1)
(Extraído)

Nenhum comentário:

Postar um comentário