quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Meu Testemunho


José Alves de Moura.
Esse é o meu pai, homem de Deus, um excelente pai e marido, um exemplo de homem de Deus, pastor da igreja Metodista Wesleyana em Rio das Ostras-RJ.





O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei? (salmos 27:1)

Recentemente nossa família, especialmente meu pai, foi surpreendida com uma notícia ruim, meu pai foi diagnosticado com câncer de próstata, não é uma notícia boa de se receber, aliás é mais que péssima; e, tenho que dizer, que quando eu soube dessa notícia chorei muito, o medo veio ao meu coração, medo de ver o meu pai sofrendo, definhando numa cama, medo de perdê-lo. Porém, não deixei o medo  me vencer, lutei contra ele em oração.
 Começamos uma campanha de oração e, nas minhas orações eu dizia pra Deus: Senhor eu não aceito que meu pai venha ser mais uma vítima do câncer, eu não aceito vê-lo sofrendo em uma cama. Amados certo dia quando fiz essa oração Deus confirmou em meu coração que meu pai não morreria dessa doença. Em minhas orações eu pedia: Pai coloca as suas mãos em volta daquela próstata,  não deixe que o câncer se espalhe para outros órgãos, essa era a minha oração constantemente; pois nós a alguns anos atrás sofremos com a perda do irmão do meu pai com a mesma doença, o câncer se espalhou por todo o corpo e ele veio a falecer.
 Finalmente, chegou o dia da cirurgia, a expectativa era grande, a cirurgia foi um sucesso, a minha preocupação era o diabetes, a cicatrização, depois da cirurgia a glicose do sangue de meu pai foi a mais de 300, mas graças a Deus não trouxe complicações, logo conseguiram que ela voltasse ao normal. Enfim, chegou o dia da alta, estávamos felizes e confiantes de que tudo ia sair bem, meu pai veio pra casa com uma sonda porque depois da operação de próstata a bexiga não funciona, essa sonda só poderia tirá-la de dez a quinze dias após a cirurgia é o tempo que a bexiga volta a funcionar. No terceiro dia de operado levamos um susto, a sonda  saiu, ficamos nervosos sem saber o que fazer, liguei para o médico e ele também ficou preocupado a ponto de dizer: Meu Deus! Será que arrebentou isso ou aquilo(isso ou aquilo é por minha conta pois não lembro os nomes que ele usou), vai ter que operar de novo, ele comeu alguma coisa? Eu disse que sim, ele disse: meu Deus se tiver que operar só daqui a oito horas, e eu ouvindo essas palavras de um especialista renomado, conhecido em todo território nacional e tendo que manter a calma para meu pai não perceber.
 Perguntei ao médico: o que eu faço? O medico respondeu: vou pensar, te ligo daqui a pouco, o médico retornou a ligação e disse:  faz o seu pai beber bastante água e leva-o para a emergência, chegando lá mande ligar para o Dr. Ricardo meu auxiliar, e assim fizemos, o médico demorou um pouco, meu pai começou a passar mau, sentindo dores pois a bexiga estava cheia e ele não conseguia urinar, finalmente o médico chegou, chamou uma enfermeira e disse: prepara uma sala pois vou tentar introduzir uma sonda, se ela não entrar providência um quarto para enterná-lo e iremos para o centro cirúrgico. Ai, que meu pai soube da gravidade do problema pois quando terminamos de falar com o seu médico eu disse: Pai não se preocupe, vamos para a emergência chegando lá é só colocar a sonda e viremos embora. Ao saber da gravidade do problema meu pai disse: Tomara que não seja tão demorado como foi na cirurgia!
 Meu pai entrou na sala junto com o médico para fazer o procedimento e eu fiquei do lado de fora em frente a porta andando de um lado para o outro orando e determinando, dizendo: Essa sonda vai entrar e nós vamos voltar pra casa em nome de Jesus! Repeti essa frase por varias vezes, até que, a porta se abriu, o médico saiu e eu perguntei: E ai, doutor, a sonda entrou? E ele respondeu: Entrou.
Agradeci muito a Deus pela vitória; meu pai disse que quando a sonda entrou o médico respirou aliviado. Deus é fiel! Ele não permitiu que meu pai passasse por uma nova cirurgia, mesmo porque, meu pai não suportaria por oito horas aquela dor que estava sentindo devido a bexiga cheia. Como cri e determinei, assim aconteceu, a sonda entrou e nos fomos pra casa. Todavia, tenho que lhes dizer que quando estamos para ir para o hospital, o diabo me fazia lembrar das palavras que o médico me falou, tentando colocar medo em meu coração, tentando me deixar nervosa pois eu estava somente com o meu pai em casa, eu que cuidei dele sozinha, tinha que dirigir até o hospital, estava chovendo muito e já era noite; mas não dei atenção a Satanás, pedi a Deus que tirasse o medo e me desse calma.
Na viagem para o hospital veio em minha mente o Salmo 27:1, que diz: O Senhor é a minha luz e a minha salvação, o que temerei? O Senhor é força da minha vida de que me recearei? Essas palavras ficaram gravadas em meu coração pois quem tem o Senhor não precisa temer, pois Ele está ao nosso lado segurando em nossa mão, nos guiando em todo tempo e cuidando de nós.
Meu pai se recuperou bem, a cicatrização foi perfeita, a biópsia do material retirado comprovou que não deu metástase, isto é, o câncer não se espalhou, só ficou na próstata, meu pai foi liberado pelo médico pois só a cirurgia foi o suficiente para livrá-lo do câncer. Louvo a Deus por essa grande vitória! Isso é para honra e glória de Deus.

 Talves caroª leitorª, você está passando por algo parecido, te digo, o medo pode até vir em seu coração, mas não deixe que ele permaneça lá, ore a Deus e ele lançará fora todo medo. Creia em Deus Pai, creia em Jesus Cristo e ele te dará a vitória .

   Que Deus te abençoe ricamente e te dê a vitória em nome de Jesus!

Um comentário: