sábado, 1 de agosto de 2015

A Paz por Conhecer a Cristo


Vocês estudam cuidadosamente as Escrituras, porque pensam que nelas vocês têm a vida eterna. E são essas Escrituras que testemunham a meu respeito; contudo, vocês não querem vir a mim para terem vida. (João 5.39,40)

 A.W. Tozer (1897-1963) afirmou: " Se sua felicidade eterna necessita de algo que não seja Deus, você não é o tipo de cristão que deveria ser, porque apenas Deus é o verdadeiro descanso".

 Geralmente,  quando os cristãos pensam a respeito do que os separa de Deus, citam primeiro coisas terrenas, como dinheiro e poder. Entretanto, não são apenas as coisas desse mundo que geram esta separação; até mesmo o modo de relacionar-se com Cristo pode colocar-se entre a pessoa e ele.
 Como isso é possível? Bem, para alcançarmos a Cristo, fazemos muitas coisas; oramos, adoramos, temos comunhão com outros crentes, lemos e estudamos a Bíblia, meditamos, jejuamos e servimos uns aos outros. Esses recursos externos que nos ajudam a aprender sobre Jesus e a aproximar-nos dele são bons, mas também podem atrapalhar-nos. Podem distrair-nos quanto ao próprio Cristo. Assim, é perfeitamente possível praticarmos atos cristãos sem a presença do Senhor; envolver-nos tanto na rotina de ler, de estudar a Palavra, de frequentar a igreja, sem experimentarmos o próprio Deus e sem permitirmos que ele nos transforme. Terminamos não sendo capazes de ouvi-lo.
 Essa negligência para com Deus difere daquele períodos áridos em que o Senhor se mostra silencioso enquanto a nossa obrigação é continuar obedecendo-lhe e esperando que ele se manifeste. Essa negligência faz com que desperdicemos totalmente o propósito da oração e das atividades cristãs, afastando-nos de Deus e sentindo-nos satisfeitos com as muitas tarefas da vida cristã. Por isso existem muitos que frequentam a igreja, estudam a Bíblia, e vivem sempre da mesma maneira, sem Cristo e sem se darem conta disso.
 Que bênção eles perdem ao caminhar nesse tipo de trevas! O melhor aspecto da vida Cristã é a realidade incrível de Deus encontrar-se conosco face a face. Ele é incrível! E não apenas satisfaz nossas expectativas terrenas, mas as excede. Sempre trabalha para o nosso bem. O Senhor adora abençoar-nos, principalmente com sua presença e seu poder transformador, com bens materiais e com relacionamentos significativos.
 Deus é o nosso Pai, e ama a cada um de nós; é o nosso melhor amigo, e nos conhece bem; é o Rei que nos criou. Para buscá-lo com sinceridade, devemos despertar da rotina de nossa atividades religiosas. Temos de viver com Jesus e pedir que ele se torne "palpável" para nós. Peça que ele lhe dê o desejo de experimentar mais do que uma simples rotina. Então, descobrirá que a vida com ele é fácil e extraordinária.

    Jesus, minha única esperança; Jesus, meu Rei,
ajuda-me a cantar teus louvores com o meu coração e minha voz;
faça com que teus raios divinos iluminem meu caminho;
leva-me, ó meu Salvador, para mais perto de Ti.
                                                                                Fanny Crosby

(Extraído do livro: Água da Rocha).
 


Realmente muitos religiosos acham que o simples praticar ações  cristãs terão a paz e a salvação de suas almas, e quando lhes perguntam: Vocês querem receber Jesus como seu único Salvador e Senhor? Eles dizem: "Não". É assim que os religiosos da época de Jesus agiam, eles eram doutores da Lei de Deus, ou seja, das Escrituras, praticavam todas as atividades cristãs, mas não quiseram seguir a Jesus.
 As atividades cristãs são importantes, é importante orar, jejuar..., meditar as Escrituras pois o propósito de tudo isso é a nossa edificação, exortação e consolação. Mas, a vida eterna e a paz espiritual que precisamos está em Jesus, e pra isso precisamos nascer dele, precisamos recebê-lo como o único Senhor e Salvador.
 
Por: Sandra Moura. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário