quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Paz e Entrega



O homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração.
I Samuel 16.7b


 As vezes, os cristãos têm dificuldade de sentir que estão dedicando-se plenamente a Deus. Têm a sensação de que é impossível ser mais santo, como os grandes homens de Deus e como o próprio Cristo. Todas essas comparações e julgamentos próprios são negativos e nocivos. François de Fénelon (1651- 1715) garantiu que Deus não mede a quantidade de amor que temos por ele, mas observa se estamos aproximando-nos ou afastando-nos dele.

 O método derradeiro para alcançar a paz no íntimo é a entrega a Cristo. Ele deseja tudo de nós, todo o nosso ser; contudo, mais que isso, deseja que queiramos o mesmo. Então quando buscamos a vontade do Pai, mesmo em períodos de luta no íntimo, quando nos esforçamos para desejar a vontade dele, percebemos estar habitando no centro do seu amor.


    Permaneçam em paz; o fervor da devoção não depende de você; tudo que pode fazer é direcionar sua vontade. Entregue-a a Deus sem reservas. A pergunta importante não é o quanto desfrutamos da religião, mas se desejamos o mesmo que Deus.
   Confesse humildemente suas falhas. Desapegue-se do mundo, e entregue-se a Deus. Ame  a ele mais do que a si mesmo e a glória dele mais do que a sua vida. O mínimo que você pode fazer é desejar e pedir tal amor. Então, Deus o amará e enviará paz em seu coração.

                                                                                                                François de Fénelon.

 Não sei afirmar quando ela, essa paz em meu peito, chegou; todavia, sei o seguinte: ela preenche minha alma; [há] um estranho e tranquilo descanso.

                                                                                      John S. Brown.

Extraído do livro: Águas da Rocha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário