segunda-feira, 21 de junho de 2010

Ludwig Van Beethoven


Era um belo dia de verão nos Alpes austríacos. Beethoven perambulava pelos campos com seu aluno Fritz Ries.
"Esta, meu jovem, é a fonte de minha música - disse Ludwig, estendendo os braços para abraçar a floresta e o riacho, a montanha e o céu."
" O menino que cuida das ovelhas também é uma de suas fontes? - Perguntou Fritz - A cançãozinha que ele está tocando é deleitosa."
"Hum?! O que quer dizer?"
"A música que o menino pastor de ovelhas está tocando em sua flauta - Falou Fritz um pouco mais alto - é uma música alegra e muito ritmada. Me faz querer dançar. O senhor não ouviu?"
"Uma flauta de pastor? Onde?
"Aqui, a sua esquerda."
A menos de dez metros de distância um pequeno pastor estava sentado em uma pedra, com uma flauta na boca, acompanhando com o balanço do corpo o compasso da música. Ludwig parou por um momento, esforçando-se para ouvir o som. Mas, tudo era silêncio...
"Oh! Não! - Pensou Ludwig - Estou ficando surdo! Como poderei tocar se não posso ouvir os sons?"
Os médicos deram-lhe pílulas e porções, mas nada adiantou. Então ele se retraiu a uma vida de solidão por algum tempo, recusando-se a se encontrar com as pessoas e tocar.
Beethoven andava sem rumo pelas colinas e desejava morrer. A vida parecia sem sentido.
Então um dia ele tomou a decisão: "Não permitirei que minha enfermidade me vença. Posso não ser capaz de ouvir música com os ouvidos, mas ainda posso ouvi-la com a mente. Essa coisa desagradável que me aconteceu será transformada em beleza em minha alma. Ainda poderei escrever músicas para a glória de Deus.
E assim fez: Voltou ao trabalho e produziu a música pela qual ele agora é considerado famoso.

Nos momentos de adversidades, quando você perceber que o desespero o está dominando, clame por Jesus, pois somente Ele poderá lhe dar serenidade neste momento para crer que dias melhores virão, Sabe porque?
"E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus..."(Romanos 8.28) (Extraído)

Nenhum comentário:

Postar um comentário